NOMENCLATURA GRAMATICAL BRASILEIRA


Portaria nº 36, de 28 de janeiro de 1959

O Ministro de Estado da Educação e Cultura, tendo em vista as razões que determinaram a expedição da Portaria nº 52, de 24 de abril de 1957, e considerando que o trabalho proposto pela Comissão resultou de minucioso exame das contribuições apresentadas por filólogos e lingüistas de todo o País ao Anteprojeto de Simplificação e Unificação da Nomenclatura Gramatical Brasileira,

RESOLVE
Art. 1º – Recomendar a adoção da Nomenclatura Gramatical Brasileira, que segue anexa a presente Portaria, no ensino programático da Língua Portuguesa e nas atividades que visem à verificação do aprendizado, nos estabelecimentos de ensino;

Art. 2º – Aconselhar que entre em vigor:

a) para o ensino programático e atividades dele decorrentes, a partir do início do primeiro período do ano letivo de 1959;
b) para os exames de admissão, adaptação, habilitação, seleção e do art. 91, a partir dos que se realizarem em primeira época para o período letivo de 1960.

Clóvis Salgado


COMENTÁRIOS
Ao ler o enunciado do Art. 1° não me vem à mente o Brasil, mais sim os países europeus. Não tem cabimento uma Nomenclatura Gramatical Russa para a Língua Basca assim como não tem cabimento uma Nomenclatura Gramatical Grega para a Língua Japonesa. A Nomenclatura é uma relação direta entre a etnia ou nação e seu Idioma utilizado na sala de aula. Subentende-se o Idioma, a partir da nacionalidade aferida a Nomenclatura. Se a Nomenclatura Gramatical é a Brasileira, o Idioma em correspondência é o Brasileiro. Com toda a certeza o título teria que ser:

Nomenclatura Gramatical da Língua Brasileira Livre.

PRIMEIRA PARTE

FONÉTICA
I – A fonética pode ser: descritiva, histórica e sintática

II – Fonemas: vogais, consoantes e semivogais1) Classificação das vogais. Classificam-se as vogais:
a) quanto à zona de articulação, em: anteriores, médias e posteriores) quanto ao timbre, em: abertas, fechadas e reduzidas

c) quanto ao papel das cavidades bucal e nasal, em: orais e nasais
d) quanto à intensidade, em: átonas e tônicas

2) Classificação das consoantes

Classificam-se as consoantes:
a) quanto ao modo de articulação, em: oclusivas e constritivas (fricativas, laterais e vibrantes)
b) quanto ao ponto de articulação, em: bilabiais, labiodentais, linguodentais, alveolares, palatais e velares

III – [Encontros vocálicos e consonantais]

1) Ditongos
Classificam-se os ditongos em: crescentes e decrescentes; orais e nasais.
2) Tritongos

Classificam-se os tritongos em: orais e nasais.

3) Hiatos
4) Encontros consonantais

IV – Sílaba

Classificam-se os vocábulos, quanto ao número de sílabas, em: monossílabos, dissílabos, trissílabos e polissílabos.

V – Tonicidade

1) Acento: principal e secundário
2) Sílabas: tônicas, subtônicas e átonas (pretônicas e postônicas)
3) Quanto ao acento tônico, classificam-se os vocábulos em: oxítonos, paroxítonos e proparoxítonos.
4) Classificam-se os monossílabos em: átonos e tônicos
5) Rizotônico e arrizotônico
6) Ortoepia
7) Prosódia

SEGUNDA PARTE

MORFOLOGIA
A Morfologia trata das palavras:

a) quanto a sua estrutura e formação;
b) quanto a suas flexões; e
c) quanto a sua classificação.

A ) Estrutura das palavras

1) Raiz, radical, tema, afixo (prefixo e sufixo), desinência (nominal e verbal), vogal temática, vogal de ligação e consoante de ligação
2) Cognato

B) Formação das palavras:

1) Derivação e composição
2) Hibridismo

C) Flexão das palavras:

Quanto a sua flexão, as palavras podem ser: variáveis e invariáveis.

D) Classificação das palavras: substantivo, artigo, adjetivo, numeral, pronome, verbo, advérbio, preposição, conjunção e interjeição

I – Substantivos

1) Classificam-se os substantivos em: comuns e próprios; concretos e abstratos
2) Formação do substantivo: primitivo e derivado; simples e composto
3) Flexão do substantivo:
a) gênero: masculino, feminino, epiceno, comum de dois gêneros e sobrecomum
b) número: singular e plural
c) grau: aumentativo e diminutivo

II – Artigo

1) Classificação do artigo: definido e indefinido
2) Flexão do artigo:
a) Gênero: masculino e feminino) número: singular e plural

III – Adjetivo

1) Formação do adjetivo: primitivo e derivado; simples e composto
2) Flexão do adjetivo:
a) gênero: masculino e feminino
b) número: singular e plural
c) grau
comparativo: de igualdade, de superioridade (analítico e sintético) e de inferioridade
superlativo: relativo (de superioridade e de inferioridade) e absoluto (analítico e sintético)
3) Locução adjetiva

IV – Numeral

1) Classificação do numeral: cardinal, ordinal, multiplicativo e fracionário
2) Flexão do numeral:
a) gênero: masculino e feminino
b) número: singular e plural

V – Pronome

1) Classificação do pronome: pessoal [reto, oblíquo (reflexivo e não reflexivo) e de tratamento] ,
possessivo, demonstrativo, indefinido, interrogativo, relativo
2) Flexão do pronome:
a) gênero: masculino e feminino
b) número: singular e plural
c) pessoa: primeira, segunda e terceira
3) Locução pronominal

VI – Verbo

1) Classificação do verbo: regular, irregular, anômalo, defectivo, abundante e auxiliar
2) Conjugações:

Três são as conjugações:

a 1ª com o tema terminado em a
a 2ª com o tema terminado em e
a 3ª com o tema terminado em i

3) Formação do verbo: primitivo e derivado; simples e composto

4) Flexão verbal

a) modo: indicativo, subjuntivo e imperativo
b) formas nominais do verbo: infinitivo [pessoal (flexionado e não flexionado) e impessoal], gerúndio e particípio
c) tempo: presente, pretérito [imperfeito, perfeito (simples e composto), mais-que-perfeito (simples e composto)], futuro [do presente(simples e composto) e do pretérito (simples e composto)]
d) número: singular e plural
e) pessoa: primeira, segunda, terceira
f) voz: ativa, passiva (com auxiliar e com pronome apassivador) e reflexiva
5) Locução verbal

VII – Advérbio

1) Classificação do advérbio:
a) de lugar, de tempo, de modo, de negação, de dúvida, de intensidade, de afirmação
b) advérbios interrogativos: de lugar, de tempo, de modo e de causa

2) Flexão do advérbio:

a) grau comparativo (de igualdade, de superioridade, de inferioridade)
b) superlativo [absoluto (sintético e analítico) e relativo]
c) diminutivo

3) Locução adverbial

VIII – Preposição

1) Classificação das preposições: essenciais e acidentais
2) Combinação
3) Contração
4) Locução prepositiva

IX – Conjunção

1) Classificação das conjunções: coordenativas (aditivas, adversativas, alternativas, conclusivas e explicativas) e subordinativas(integrantes, causais, comparativas, concessivas, condicionais, consecutivas, finais, temporais, proporcionais e conformativas)
2) Locução conjuntiva

X – Interjeição

Locução interjeitiva

XI –

1) Palavra
2) Vocábulo
3) Sincretismo. Sincrético
4) Forma variante
5) Conectivo

TERCEIRA PARTE

SINTAXE
A) Divisão da sintaxe:

a) de concordância: nominal e verbal
b) de regência: nominal e verbal
c) de colocação

B) Análise Sintática

– Da oração

1) Termos essenciais da oração: sujeito e predicado

a) sujeito: simples, composto, indeterminado, oração sem sujeito
b) predicado: nominal, verbal, verbo-nominal
c) predicativo: do sujeito e do objeto
d) Predicação verbal: verbo de ligação, verbo intransitivo, verbo transitivo direto e verbo transitivo indireto

2) Termos integrantes da oração: complemento nominal, complemento verbal (objeto direto e objeto indireto) e agente da passiva

3) Termos acessórios da oração: adjunto adnominal, adjunto adverbial e aposto

4) Vocativo

– Do período:

1) Tipos de período: simples e composto
2) Composição do período: coordenação e subordinação
3) Classificação das orações:
b) principal
c) coordenada assindética e sindética (aditiva, adversativa, alternativa, conclusiva e explicativa)
d) subordinada substantiva [subjetiva, objetiva (direta e indireta), completiva-nominal, predicativa e apositiva], adjetiva (restritiva explicativa) e adverbial (causal, comparativa, consecutiva, concessiva, condicional, conformativa, final, proporcional e temporal)


APÊNDICE
I – FIGURAS DE SINTAXE: anacoluto, elipse, pleonasmo e silepse
II – GRAMÁTICA HISTÓRICA: aférese, altura (som), analogia, apócope, assimilação (total, parcial, progressiva, regressiva), consonantismo, consonantização, convergente, crase, desnasalização, despalatalização, dissimilação (total, parcial, progressiva, regressiva), ditongação, divergente, elisão, empréstimo, epêntese, etimologia, haplologia, hiperbibasmo, intensidade (som), metátese, nasalização, neologismo, palatalização, paragoge, patronímico, prótese, síncope, sonorização, substrato, superstrato, vocalismo, vocalização.

III – ORTOGRAFIA: abreviatura, alfabeto, dígrafo, homógrafo, homófono, letra (maiúscula e minúscula), notações léxicas [acento (grave, agudo, circunflexo), apóstrofo, cedilha, hífen, til, trema], sigla

IV – PONTUAÇÃO: aspas, asterisco, colchetes, dois-pontos, parágrafo (§), parênteses, ponto-de-exclamação, ponto-de-interrogação, ponto-e-vírgual, ponto-final, reticências, travessão, vírgula
V – SIGNIFICAÇÃO DAS PALAVRAS: antônimo, homônimo, sinônimo, sentido figurado
VI – VÍCIOS DE LINGUAGEM: barbarismo, cacofonia, preciosismo e solecismo.

*****Fim.


COMENTÁRIOS

A Nomenclatura gramatical portuguesa, com suas regras e normas caducas, não permitem ao Professores ou Professoras inovarem dentro da sala de aula e freiam e refreiam a criatividade e a inventiva dos alunos.

Muito se fala da liberdade de expressão, mais de maneira utópica e irresponsável pois da maneira que o Idioma é ministrado na sala de aula, de forma imposta pelos interesses das Elites de lá e de cá, em muito em breve, as palavras Cidadania, Brasileiros, Brasileiras e Brasilidade desaparecerão dos dicionários como a maioria das palavras do tupy guarany que mesmo assim, em desafio a esta impúdica atitude dos responsáveis pela educação do País e de editores, continuam a serem escritas e faladas em todo o território Brasileiro.

Em sendo assim, com o anexo abaixo transcrito, a Nomenclatura Gramatical da Língua Brasileira passará a se denominar Nomenclatura Gramatical da Língua Brasileira Livre.

Anexo:

Por necessidade de inclusão de palavra solicitada pela frase, para desenvolvimento da redação e a complementação da redação, o uso da Permuta de Consoantes e Vogais é e tem de ser admissível .

 

****Fim.