01 – ANALISE DO TEMA

Por JB da Silva

A Ciência Oaieme ao se expressar através dos resultados de suas análises, nos oferece a riqueza inconteste e maravilhosa do Idioma Brasileiro Livre, embasado pela excelência das suas Figuras de Linguagem que enriquecem os teores dos parágrafos e abrilhantam o texto ou redação final.

02 – QUADRATURA DO TEMA

22.proverbios

03 – EXTRAÇÃO DE PALAVRAS DA QUADRATURA

****
OBS: Todas as palavras do texto serão encontradas dentro da quadratura e todas as palavras possíveis que podem ser formadas com as letras da quadratura compõem o teor ou forma do texto ou Resultado.

Se editou até o título Deus e Esdras as palavras contidas na quadratura em estudo, para que se comprovasse a autenticidade do resultado proposto e a seriedade do trabalho de edição.

Propõe-se que daquele resultado em diante, o usuário ou usuária na dúvida, consulte nos Dicionários as palavras não comuns.

Será um excelente exercício de desenvolvimento mental procurar na Quadratura tais palavras ou as que precisam de comprovação no texto.

Algumas palavras contidas na quadratura, propositadamente não foram utilizadas. Será interessante exercício encontrá-las e com elas enriquecer o teor do Resultado.

****

04 – RESULTADO

Rude Rei de Sedes de Vedro Povo urde ser pobro e rei de divos poderes e ideou e se viu ser o Esse de Esses e Rei de Reis desse Verde Sidéreo e Divo Orbe e sopesou o seu Eu, orou e pediu sério..

E D*E*U*S*, Deus de Deuses, de Sidéreos, de Orbes, de Sóis, dos Evos e Evos e desse Verde Sidéreo e Divo Orbe, do seio dos Evos e Evos pôde ouvir o ressoo dos suspiros do Rude Rei de Sedes e de dó do Rude Rei de Sedes, de seu Vedro Povo, dos Esses Pobres e dos Rudes Seres desse Verde Sidéreo e Divo Orbe, veio dos Evos e Evos e deu o uso de Sedes, Odes de Edis, Edis de brios, Provérbios de Sérios Versos, bovídeos: bois e reses, veios e dobrões de ouro e disse:

– Ó Rude Rei de Sedes, prove ser rei de brios, sóbrio e sério: se sedeie e ouse, use Sedes, use Edis, use Odes de Edis, use os Provérbios de Sérios Versos, use os bovídeos; bois e reses e os dobrões de ouro. Se supre, supre Reis, os Esses Pobres, os Rudes Seres e seu Vedro Povo e se os Esses Pobres e os Rude Seres é só suores, viroses e dores, esse é seu dever; os rese. E se o Réu é só ódios, dê duro, depure e sopese seu rude Eu.

Use seu Eu, se dê e só sue Odes de Sérios Versos. Só se dessoe do opróbrio do uso rude do sesso, do uso de doses, do ópio e é vosso esse Verde Sidéreo e Divo Orbe.

Idos e Idos o Rude Rei de Sedes se serviu .e deu o uso de Sedes, de Edis, do uso de Odes de Edis, do uso de Provérbios de Sérios Versos, do uso de bovídeos; bois e reses, dos dobrões de ouro e resou suores, viroses e dores, dos Esses Pobres e dos Rude Seres. E se dessoou do opróbrio do uso rude do sesso, dosou o uso de doses, o uso do ópio e o depuro de odiosos Réus se deu.

Deus do Riso e do Roubo veio de Orbe e sede de opróbrios e ideou ser o Divo Deus desse Verde Sidéreo e Divo Orbe e viu o Rude Rei de Sedes ser de Eu duo e espúrio e provou e repesou os brios e o siso do Rude Rei de Sedes:

-Ó Rude Rei de Sedes, seu Eu é só suspiros dos dessoos de seus reveses. Se D*E*U*S* o proveu de Sedes, Edis, Odes de Edis, Provérbios de Sérios Versos, bovídeos; bois e reses e dobrões de ouro, Sedes, Edis, Odes de Edis, de Provérbios de Sérios Versos, bovídeos; bois e reses e dobrões de ouro é de seu uso e desuso. Disso eu sei; se és servo de D*E*U*S*, os suspiros, reveses e dessoos é de seu Eu e o uso e desuso desse Verde Sidéreo e Divo Orbe é de D*E*U*S*. E D*E*U*S* é sisudo Deus e desviou de si o uso rude do sesso, o uso de doses e o uso do ópio .

– Eu sou poderoso Deus, se desvie de D*E*U*S*, se desuse de seus Provérbios de Sérios Versos, revise Odes de Edis, dế seu Eu ore e dê ossé e se servis esse Deus eu dou uso de Sedes, de Edis, do uso de Odes de Edis, do uso de Odes dos Provérbios de Ver o Verso e o Reverso dos Idos e Períodos desse Verde Sidéreo e Divo Orbe, de seus Esses, de seu Vedro Povo e do uso de bovídeos; bois e reses e dos dobrões de ouro.

Se sedie, ore, se dê, pede e Eu dou o uso rude do sesso, o uso de doses e o uso do ópio .

E o Rude Rei de Sedes de diviso e duo Eu, se desviou de D*E*U*S* e de sede do uso Sedes, Dobrões de Ouro, do uso rude do sesso, do uso de doses, do uso do ópio e do uso de Odes dos Provérbios de Ver o Verso e o Reverso dos Idos e Períodos desse Verde Sidéreo e Divo Orbe, de seus Esses e de seu Vedro Povo orou, pediu e deu seu Eu e o Eu dos Esses desse Verde Sidéreo e Divo Orbe.

E o Rude Deus e Rei do Riso deu Sedes, Bordeis, Dobrões de Ouro e o uso rude do sesso, o uso de doses, o uso do ópio e o uso de Odes dos Provérbios de Ver o Verso e o Reverso dos Idos e Períodos desse Verde Sidéreo e Divo Orbe, de seus Esses e do Vedro Povo do Rude Rei de Sedes.

E o Rude Deus do Roubo e de Riso de Bode se viu o Deus desse Verde Sidéreo e Divo Orbe e o Rude Rei de Sedes se deu e se viu o Divo Esse de Esses e de Sedes, desse Verde Sidéreo e Divo Orbe.

E o Rude Rei de Sedes revisou Odes de Edis se serviu de Reis, predou Sedes, dosou o uso dos dobrões de ouro, pesou e sopesou o Eu dos Esses de seu Povo e desse Verde Sidéreo e Divo Orbe. De posse de bordeis, os proveu do uso de doses e de ópio, desviou dos Esses pobres o uso dos dobrões de ouro, sovou e pisou servos e se o Rude Réu deu dobrões de ouro o perdoou.

O desuso dos Provérbios de Sérios Versos de D*E*U*S* e o uso uso rude do sesso, o uso de doses, o uso do ópio e o uso de Odes dos Provérbios de Ver o Verso e o Reverso dos Idos e Períodos desse Verde Sidéreo e Divo Orbe, de seus Esses e do Vedro Povo do Rude Rei de Sedes desviou os Esses desse Verde Sidéreo e Divo Orbe e o Vedro Povo do Rude Rei de Sedes de D*E*U*S*. Dispersos, o ódio e o revés sorveu e sorve esse Verde Sidéreo e Divo Orbe seus Esses e o Vedro Povo do Rude Rei de Sedes.

Se és Rei de Sedes e urdes ser sério rei, se supere, ouse e use esse Super Provérbios de Sérios Versos e se supre de dobrões de ouro e posses o seu Povo, se o revés de Sedes e de Edis prevê e ouve os seus Esses Pobres, D*E*U*S* rese Sedes, Posses, seu Povo, seus Edis e seu Pobro Eu.

Se és Rei de Sedes e urdes ser Divo Esse de Esses e de Sedes, desse Verde Sidéreo e Divo Orbe, se vedou o uso dos Provérbios de Sérios Versos de D*E*U*S*, se os dobrões de ouro e posses de seu Povo desviou, se o revés de Sedes e de Edis prevê, se ouve e viu e se deu de surdo e se ouve os seus Esses Pobres se rí, esse Super Provérbios de Sérios Versos use e se desuse de Sedes, Dobrões de Ouro, de Posses, disperse seus Edis, só perdoe e sopese os Esses Pobres de seu Povo e se és só berros e dores e seu Rude Deus do Roubo e do Riso é só urros, D*E*U*S* os sove no seio dos breus dos Evos e Evos.

****
Divo- divos- divino
Dessoe- se distone, se destoe
Deus do Roubo e do Riso de Bode – satã
Dual- duplo, de dois aspectos
Diviso- dividido
Esse de Esses – rei, presidente
Evos e Evos- a Eternidade das Eternidades
Espúrio- ilegítimo
Esses pobres – os humildes
Edis- políticos, magistrados
Oprobrio- ignominia, abjeção
Ossé- oferenda
Odes de ver o Verso e o Reverso de Idos e Períodos- a Cala, o Tarô
Odes de Edis- leis humanas.
Probo- integro, sério
Provérbios de Sérios Versos de D*E*U*S*- leis naturais e divinas
Predou- destruiu
Proveu- ordenou, dispôs
Rude Rei de Sedes- governante
Rudes Seres- os animais
Ressoos- soar, ecoar em ritmo
Sedeie- se estabeleça
Sesso-nádegas
Sopesou- tomou com a mão. Aguentar o peso de;
Super Provérbios de Sérios Versos- a Ciência Oaieme
Vedro Povo – antigo povo

A Ciência Oaieme e seus métodos não obedecem as normas da Nomenclatura Gramatical da Língua Portuguesa mais a do Idioma Brasileiro Livre.

****

05- COMENTARIO

Nunca é demais enfatizar as inquestionáveis qualidades da Ciência Oaieme no que concerne a análises do passado, do presente e as possibilidades do futuro já presente.

Mesmo em se tratando dos artigos escritos pelo autor, podemos aferir os aspectos proféticos de seus conteúdos, quando no trato de questões ou ações em ocorrência no momento presente e que; terão seus desfechos em um futuro não muito distante.

Nos anos 2013, 2014, 2015 e 2016 o assunto em pauta no contexto da sociedade e nos meios políticos era o Parlamentarismo porém, com o impeachment da Presidente Dilma ele foi deixado de lado embora muitos continuassem a manter expectativas quanto a sua implantação.

Em agosto de 2015 o autor teceu considerações à respeito, bem como os possíveis desdobramentos da crise que se instalava e o momento político presente e as operações da Lava a Jato embasam as suas afirmações publicadas.

No dia 7 de junho de 2017 os tele jornais em todo o Mundo, anunciavam que cientistas a partir de fósseis encontrados em Marrocos, tiveram a certeza e convicção que o Homo sapiens é mais velho do que se imaginava. O Homo sapiens já existia há cerca de; entre 300 a 350 mil anos na África e não a 250 mil anos como se supunha.

A Ciência Oaieme em 1996 afirmava ser de 250 mil anos a idade do Homo sapiens. Não houve erro nessa informação e aí está a explicação: as experiências genéticas encetadas na época, que propiciaram a criação do Homo sapiens à partir do Homo erectus, se iniciaram a uns 350 mil anos e redundou em inúmeras fracassos até que se alcançou o sucesso a partir do uso de genes alienígenas e terráqueos que resultou no primeiro Homo sapiens, Adapa o Adão sumério feito de sangue divino.

Logo, o servo ideal, Adapa o primeiro Homo sapiens foi dado como “pronto para uso” à 250 mil anos data em que se iniciou a sequência de Reis Sumérios pré diluvianos com a instalação do reinado de A-lu-lim. Os reinados sumérios pré diluvianos somaram 241.200 anos.

Como os relatos sumérios são irrefutáveis e precisos, as informações fornecidas sobre o tema a partir da Ciência Acadêmica, da Ciência Oaieme e da Cultura e Tradição Suméria se interpõem e se interligam entre si.

**** O olho que dizem que tudo vê, olha o Mundo e não me enxerga pois no Ontem não era, no Hoje não é e no Amanhã nunca será. No entanto Eu olho o Mundo e o olho que dizem que tudo vê: Eu o vejo e o enxergo pois no Ontem Eu era, no Hoje Eu sou e no Amanhã sempre serei porquê na Eternidade das Eternidades, Sou Um de D*E*U*S*.
****
**** Eu vim, vi e venci e nem “eles” me viram nem tu me viste.
**** Um abraço a todos, até o próximo artigo e Inté.
**** Independência ou Sorte. O Aedo do Sertão
**** Fim·