01. ANALISE DO TEMA

Por J B da Silva

A Ciência Oaieme e seu Métodos e Doutrinas nos dão uma visão sucinta dos eventos da Era Diluviana bem como os fatos concernentes ao Reinado de Enoc, o Adão.

02. QUADRATURA DO TEMA

cronicasI.

03. EXTRAÇÃO DE PALAVRAS DA QUADRATURA<

DA-DAS-DANÇA-DANO-DÃO-DAI- DAR- DARES- DERA- DEU- DOU -DE-DECAI-DECAIR-DECANO- DECORA- DECORAI- DECURIA- DECURIÃO-DECANO-DENSO-DENSA-DESANCA-DESANCOU-DESAR-DESASE-DESAR- DESCANSA- DESCAROÇA- DESCANSOU- DESCRIÇÃO- DESCARNOU-DESCERA- DESCURA- DESNU- DESSE-DESSA-DEUS- DEUSES-DEUSA-DEUSAS-DESSECA-DESCERA-DESUNIÃO-DESUNE-DESUNIR- DIA-DIAS-DIOCESE- DISCO- DENSAS-DISCURSO- DISSO- DISSE-DO-DOS- DOAR- DOARES-DOÇURA-DOENÇAS-DOER-DORES-DOIS- DOR- DOSE- DOSAR- DUO-DUNAS-DURAÇAO-DURAR- E- EIS- ES- EA- ECOS- ECOAR- EDEN-EDEIAS-ERÊ- EIRADO- EDIÇÃO- EDUCA- EDUCAR- EIRAS- EIRADO- ENCADEOU- ENCAROU- ENCUCA- ENOIS-ENDOSSA- ENOC-ENSAIO- ENSAIOU-ENSACO- ESCADA-ESCARNIO-ESCOA- ESCOAR- ESCONDEU- ESCONDE-ESCONDIA- ESCUDO-ESCURAS- ESCUSA- ENSACO- ENSACAR- ESCOCIA- URAIS- URINA-UNIÃO-URANIO-UCA-URANO- UNICO- UNE- UNIDOS- UNIS-UNS-UNO-UNA-USINA-USO-USADO-USARA-URDE-URNA-URDIA- URAIS-SÃ-SÃO-SACA-SACO- SACI- SACIAR- SACRO- SACODE-SADICOS-SADICA-SADIO- SAI- SAIAS- SAIR- SAIU- SAINDO- SANDICE- SANDIO- SANDEU-SAUDA-SAUDAR-SAUDE-SARU-SE-SEU-SEUS- SUA- SUAS- SEDA- SEDE- SEDIOU- SEIS- SEIO- SISO- SODAS- SONSA- SEDUS-SEDUSI-SEDUSO-SENSO- SESSO- SERENA- SERENO- SERES- SEARA-SINA-SINEDRIO- SINODO- SENADO- SENÃO- SUINO- SUCESSO- SUCO-SADICA-SADICO-ACA-AÇO- ASCO-AÇÃO-ACASO-ACENA-ACIDO- A- AS-AOS-AIAR-AEDO-AINOS-AIO-AIA-ASIA-ARIOS-ARIDAS-AREIAS-ACIDOS- ARDOSIAS- ANODINAS- ACODE- ADEREÇOS- ACESO- ACEDE- ACUAR- ACUADOS- AÇUDE-ADIA- ADOECE-ADORNA-AI-AIS-AINDA-ANAIS-ANU-ANUS-ANO-ANIS-ANCAS-ANDAR- ANDOU- ANDARES- ANDÓ- ANDOR- ADÃO- ANSIAS- ANSIAR- AREA-ASNO- AREA- ASSEDIOU- ASNEIRAS- ANUO- ANUI- ANIS- ANODINAS-AO- AOS-AONDE-ARA-ARDE-ARDUO-ARDUA-ARISCO-ARNEDO-ARNÊS- ARES- AREU- ASCO- ASCENDI- ASCENDER- ASCESE- ASCENSÃO-ASNEIRA-ASNOS-ASSENSO-ACENSO- ASSÉDIO- ASSIDUO- ASSUAR-ASSEAR-ASSEADO-AUREO-AUREA- AREU- CÃS-CÁ- CAÇA- CACAU- CACOS- CACUNDA- CADA- CADÊ- CADEIA-CADEIRA-CADENCIA- CADERNO- CAI- CAIU- CAIR- CANA- CANÇÃO- CANDEIA-CANECA- CANSAR- CANSOU- CÃO- CAOS- CARA- CARCÁS- CARIÚS-CANECOS-CARIOCAS- CARNES- CÁRNEO- CARNIÇA- CARNES-CAÇA- CARO- CARNUDO- CAROÁ- CASA-CASOU-CASCA- CASEIRA- CASERNA- CAUCASO- CAUDA- CADEIA-CEARÁ- CEREAIS-CEDE- CEDER- CEDEU- CENA- CENÁRIO- CENSO- CERCO-CERCOU-CICERONE-CIENCIAS-CIRENEU- CIDRA- COA- COADA- COADUNAR- CÔDEA- COISA-CONCORDA CONSIDERE- COR- CORES- CORDAS- CORDÃO- CORCUNDA-CORNOS-COROA- COCO- COCADA- COSSACOS- CREDO- CRESCEU-CRESCIDO- CRIAÇÃO- CRIADO- CRIA- CRIANÇA- CRIOU- CRISES-CRIOULOS- CRUS-CRONICAS- CU-CURA- CUEIRO- CUIA- CUITÉ- CUIDO-CURANDO- CURA-CURSO-CRENÇA- CRESCIDO- CARENCIA- RAÇA- RAÇAS- RAIA-RAIOU-RANÇO-RASO-REAÇÃO-RASO-RADIO- RECADO- RECEIO- RECEIOU-RECENDE- RÉCUA- RECUA- REDE-REDEAS-REINOS- REI- REIS-RÉS- RESIDUO- RESIDO- RESSAIO-RESSOA-RESSONA-REU-REUS-RIA-RIAS-RIU-RISO-RINDO-RISADAS-RISCA-RICOS-RICAS – ROCA- ROÇA- ROÇADO- RODA- RODEAR-RONDA-RONDAR- RONDÓ- ROSA- RÓSEOS-RUAS- RODES- RUIDOS- RUNAS- RUNICA- RUSSIA -O- OS- OÁSIS- OCAS- OCARA- ONU-ONDA-ONDE- ORE- ORAI- ORDENS- ORDENA- ORNE- ORNA-OUÇA- OUTRA- OSSÉ-OUSE-OUSAR-NA-NAS-NAÇÃO-NACO- NADA- NÃO-NOAS- NASCE-NASCIA- NASCEU-NASCIDO-NAUSEAS-NAUS-NESSA-NESSE-NO-NOS- NOSSO- NU- NUS- IA- IR- IRAS-IREI-INDO-IDA-ICONE-IDEAR- IDEOU- IDOS -INCURSÃO-IRADO-IRA-ISSO-INCAS

****
OBS: Todas as palavras do texto serão encontradas dentro da quadratura e todas as palavras possíveis que podem ser formadas com as letras da quadratura compõem o teor ou forma do texto ou Resultado.
****

04. RESULTADO

Eu sou o Erê Saci e orei na ascese, ascendi aos Ceus e D*E*U*S* o Deus de Deuses, Deusas, dos Sóis, dos Sidérios e Uno deu a esse Erê o assenso ao acesso aos Céus e nessa Era de Dores eu dou seus recados e ordens nesse Reino da Deusa Asase; esse Áureo Sidéreo e sou o Cicerone do Credo e Ciência Sacra criada das Runas Áureas de Sião (Brasil).

Resido a Eras e Eras nas escuras e densas eiras dessa Áurea Seara, o Sião(Brasil) onde D*E*U*S* sediou o Eden desse Sidéreo. Nessa Era de Dores e Ais, ano a ano e dia a dia na Sede dos Cariús Cariocas, (Rio de Janeiro) cuido de educar o Aedo nessa Ciência Sacra e o Aedo usa seu caderno onde usando as Áureas Runas de Sião(Alfabeto do Idioma Brasileiro) urde ou cria Cronicas e Ensaios e essas Cronicas e Ensaios irão educar o Eu dos Seres desse Áureo Sidério e esse Aedo não se encuca e não se escusa da sua dura e rude sina.

Eis aí os recados de D*E*U*S* e suas ordens e a descrição é essa:

Isso se deu nos Idos do Eden:

Idos e Idos, ano a ano, e no dia a dia o Rei dos Reis Enoc o Adão, do Eden, saia a educar Reis, Edis, Deãos, Decanos, os Seus e Suas e Esses e Essas de D*E*U*S* E os Esses e Essas das Rudes Raças desse Áureo Sidéreo só não ia educar os Rudes Seres Aios e Aias criação de Anu o Deus de Crinas, Cascos e Adé e seus Deuses e Deusas Adés e Sádicos nos Credos sérios de Deus e nas reuniões ou às Noas, ou nas Sedes de D*E*U*S* era o Decano dos Decanos de siso, senso e discurso sério.

Nisso, nos anos do reinado de Enoc o Adão, de Rude Sidéreo nos Céus e reino no caos, descera Anu o Deus de Crinas, Cascos e Adé e do riso e do escárnio e seus Deuses e Deusas e seus Esses e Essas Adés e Sádicos. E esse Deus se deu de Rei de Rudes Raças e de Esses e Essas nas eiras de Ur e Eridu na Eurásia onde sua Raça criou Rudes Seres saídos e nascidos da carne das Rudes Raças desse Áureo Sidéreo e das carnes dos Deuses e Deusas Adés. Seu anseio era ser o Deus desse Áureo Sidéreo.

Idos e Idos e ano a ano considere-se o Ano Sideral do Rude Sidério a Raça de Anu o Deus de Crinas, Cascos e Adé descia nesse Áureo Sidéreo usando suas naus – discos de incursão nos céus. A carência dos arsenais dessa Raça no seu Rude Sidéreo era aço, urânio, resinas, ácidos, sodas, carnes e cereais e nas ricas eiras da Eurásia era usado o Esse ou Essa das Rudes Raças desse Áureo Sidério e os Rudes Seres criados no seio dos Deuses e Deusas de Saia de Seda Adés e Sádicos na caça, na cura de enóis, na usina e no ensaco dessas ricas coisas: cereais e carne seca de reses e de suínos. No Rude Sidéreo não nascia nada só saia areia ou cacos de ardósia de suas áridas areias, nada nascia ou crescia. Daí a crise assediou o Rude Sidéreo e Anu se encuca, se descura de seu Sidério e irá sediar a sua raça na Eurásia e aí cria reinos e nações.

O anseio de ser Deus desse Áureo Sidéreo era o dia a dia de Anu, Deus de Crinas, Cascos e Adé e isso ideou anos e anos e no anseio disso reune seus Reis, Deãos, Decanos, Edis e seus Deuses e Deusas Adés no senado de sua Sede e na reunião disse:

– Enoc, o Adão é Rei de rico reino no Eden e dos Esses e Essas e das Rudes Raças desse Áureo Sidéreo e crê no Deus dos Deuses, Deusas, dos Sidéreos, dos Sóis e Uno e usa seu Credo Sério. É casado e sua dona é sonsa, néscia, não crê no Deus dos Deuses, Deusas, dos Sidéreos, dos Sóis e Uno e não usa seu Credo Sério. Seu anseio é dar cria e se cansou do caduco Enoc, o Adão e não esconde isso e Enoc, o Adão se recusa a acudir sua dona no cio. Se eu sedusí Enoc, o Adão e sua dona sonsa, seduso seus Reis, Edis, Deãos, Decanos, os Seus e Suas e os Esses e Essas e os das Rudes Raças e serei Deus desse Áureo Sidéreo. E a sina e senda desse Áureo Sidéreo será ser nossa sede e casa Idos e Idos e se o Deus dos Deuses, Deusas, dos Sidéreos, dos Sóis e Uno não cuida de seu Áureo Sidéreo, cuido Eu.

E Anu o Deus de Crinas, Cascos e Adé sacode suas crinas ósseas de seu crânio adunco, ordena a reunião e dá ordens a seus Reis, Deãos, Decanos, Edis e Deuses e Deusas Adés e rindo no escárnio disse:

– Ide, educai os Esses e Essas e as Rudes Raças desse Áureo Sidéreo e os do nosso Reino no nosso Credo e o sucesso será de nossa raça.

E na Eurásia, Ur e Eridu serão as sedes e sés do reino da Raça de Adés oriunda do caos dos Céus.

Anu, o Deus de Crinas, Cascos e Adé , no seu disco e nau de incursão nos Céus, ia dia a dia ao reino de Enoc o Adão e no receio não descia. Seu receio era a ira de Enoc o Adão e de seus criados e aios.

Se não era dia de cuidar da seara, roçar ou cuidar da descaroça, a Dona Sonsa de Enoc o Adão se escondia na seara e nas dunas de areia da roça ou nas dunas do rio nua no ressaio da seara, era só anseios de aceso cio.

Não era dia de cuidar da seara e a Dona Sonsa de Enoc o Adão era só dores e ais nas ânsias de aceso cio nas dunas de areia do rio no ressaio à seara.

Anu Deus do Riso e Adé nesse dia usa o crânio e seus ardis: desce do Céus no seu disco e nau de incursão nos Céus nas dunas de areia do rio no ressaio à seara disse a Dona Sonsa de Enoc o Adão:

– Enoc o Adão não cuida de sua Dona, Rosa de Rosas e não sacia seus anseios e se recusa a dar cria a sua Dona. Eu sou o Deus de Ur e Eridu e desci dos Céus. Se essa Dona de Donas e Rosa de Rosas se der e doar seus anseios a esse Deus, ainda esse ano irá dar cria e Enoc o Adão nada dirá.

E a Dona Sonsa de Enoc o Adão se riu e disse:

– Eu sei, se desceu dos Céus e és rei de Ur e Eridu és Áureo Deus nesse Áureo Sidéreo. E nesse dia se acorde isso: se eu der cria ainda esse ano, serei sua no dia a dia, na sede, na sé, na seara, na roça ou nessas dunas de areia.

E a Dona Sonsa de Enoc o Adão não recusa o assedio e no seio da seara se deu a Anu o Deus de Crinas, Cascos e Adé e dia a dia e ano a ano Anu o Deus de Crinas, Cascos e Adé ia na casa ou sede de Enoc o Adão se saciar e saciar os anseios da sádica Dona Sonsa.

-A Dona Sonsa de Enoc o Adão era aia da Sede de Deus, Deus de Deuses, Deusas, dos Sidéreos, dos Sóis e Uno. Era dia de cuidar das rosas nos canecos e nas cuias e dos adereços e nesse dia Enoc o Adão a cerca na saída da Sede de Deus, Deus de Deuses, Deusas, dos Sidéreos, dos Sóis e Uno e irado a acusa:

– És sonsa, sádica e escárnio ou riso a esse Rei. Eu seio disso: nas dunas de areia do açude ou do rio no ressaio à seara, cuidas do cio e dos anseios do Deus Anu de Ur e Eridu.

– Ora, isso não é sua desonra. Disse a Dona Sonsa.

– Sua desonra são seus anseios de cio néscio no ânus, o uso de doses de cidra, dos sucos ácidos e os enóis da uca da cana. Ao usar suas seiudas noras e aias de seio nu, seu cio se escoa na urina e isso é asco as suas noras e é riso e escárnio das aias de seio nu. E isso dói no seu crânio: se eu sou só ânsias e anseios de dar cria, na ira sais de casa e não acode a essa sua Dona e Aia.

Enoc o Adão não dis nada e se escoa de Enoc o Adão a ira: se rende a sedução de sua Dona Sonsa e Seiúda e essa ciosa de seus dons sacode as ancas ousa e sedus Enoc o Adão:

– Enoc, seus anseios de cio néscio no ânus, o uso de doses de cidra, anis, sucos ácidos e enóis da uca da cana é asco a Deus, Deus de Deuses, Deusas, dos Sidéreos, dos Sóis e Uno E isso é sério ; não sendo a sua saúde sã e caduco serás o riso e o escárnio de aios e criados. Se recuse a ceder ao Deus, Deus dos Deuses, Deusas, dos Sidéreos, dos Sóis e Uno e se desuse de suas Sedes, Sés e de seu Credo Sério. Ouça esse recado do Deus Anu de Ur e Eridu o Deus de Crinas, Cascos e Adé:

– Se usares os Credos do Deus Anu de Ur e Eridu, Deus de Crinas, Cascos e Adé se der ossé, seda e cuidar de seus ícones nas Sedes Sés, Searas, Eiras, Roças e Ruas orando e na ascese se der, e se educar seus Deãos, Decanos, Edis, os Seus e Suas e Esses e Essas das Rudes Raças nos credos de Ur e Eridu, Anu Deus de Crinas, Cascos e Adé cura sua doença dos rins, do cio a se escoar de Enoc, cede o uso do cio néscio no ânus, o uso do uso de doses de cidra, anis, dos sucos ácidos e dos enóis da uca da cana e o ascende a Rei dos Reis e ainda dá a Enoc as rédeas desse Áureo Sidéreo e a Ciência dos Ícones e Runas onde se saca a sina e senda dos Reinos e dos Esses e Essas e das Rudes Raças desse Sidéreo.

Enoc o Adão se rindo disse:

– O risco seria se o Deus, Deus de Deuses, Deusas, dos Sidéreos, dos Sóis e Uno sair de seu recesso dos Céus e descer nesse Áureo Sidereo e nessa Era isso não se dará. E se isso se der será só na Era Áurea e nessa Era, Enoc será só ressecada ossada. Dê esse recado ao Deus Anu Deus de Crinas, Cascos e Adé de Eridú:

– Curando Enoc de suas doenças e ao ceder a Enoc os anseios de cio néscio no ânus, o uso de doses de cidra, anis, sucos ácidos e enóis da uca da cana e os Arcanos de seu Credo serei seu Rei de siso e criado sincero.

A Dona Sonsa de Enoc o Adão deu o recado a Anu o Deus de Crinas, Cascos e Adé de Eridú e nas sedes, sés, eiras, roças e casas Enoc o Adão içou os ícones de Anu o Deus de Crinas, Cascos e Adé de Eridú e soca o Credo Sério do Deus dos Deuses, Deusas, dos Sidéreos, dos Sóis e Uno e o Caderno de Crônicas dos Céus e desse Áureo Sidéreo na Arca Sacra e a esconde no escuro de rude urna nas eiras escuras do Éden.

No seu recesso dos Céus, o Deus, Deus de Deuses, Deusas, dos Sidéreos, dos Sóis e Uno disse;

– Esse Enoc é só asco e desonra e sua aura recende a carniça. E se reúne e ordena os Esses e Essas e os Esses e Essas das Rudes Raças desse Áureo Sidéreo em danosa sina ou senda e será réu dos réus dessa crise. Ide Nereus e sane essa crise e o Deão e Erê Saci sacuda o Eden ecoando os sons do SI.

E eu saí a ecoar o SI e sacudi o Eden e as crises de ais e dores irá assediar os Esses e Essas de Enoc o Adão a aiar saindo do Eden aí o Decano dos Decanos desse Sidério Nereus desceu dos Céus e disse a Enoc o Adão no Éden;

– Se desase e se desuse desse Rico Reino do Éden ou eu uso os Dons Reais de Deus, Deus de Deuses, Deusas, dos Sidéreos, dos Sóis e Uno ou o sacudo nas escuras eiras do Caos nos Céus.

E Enoc o Adão e seus Esses e Essas saídos do Éden, Anu os irá sediar e os ordena nos seus Reinos nas Eiras de Ur e Eridu.

Nesses Reinos, Enoc o Adão e os Esses e Essas de sua Rude Raça irão ser Aios e Aias de Anu o Deus de Crinas, Cascos e Adé e seus Deuses e Deusas Adés e Sádicos.

E aí se dá o desar de Enoc o Adão e sua Rude Raça.

Essa é a Crônica do Reinado de Enoc o Adão nos Idos do Eden.
****
Aca – mau cheiro
Aiar – dar gritos
Aios e Aias – serviçais domésticos
Aedo – poeta, declamador
Ascese – exercício espiritual e metafísico
Ascender – subir
Assenso – consentimento, permissão
Anu o Deus…-Satã
Ano sideral do Rude Sidéreo – Nibiru, 3.600 anos
A Arca Sacra – A Arca Santa
Cariús- o homem branco
Cariocas – os nascidos no Rio de Janeiro
Ciência dos Ícones e Runas- o Tarô
Credo e Ciência Sacra – a Ciência Aieme
Deusa Asase – a Terra, ritos africanos
Desar -revés da fortuna
Edéias – órgão genitais
Encuca- se pertubar mentalmente
Esses e Essas – o Povo
Esses e Essas das Rude Raças – os selvicolas
Nereus – o Decano dos Decanos das Divindades na Terra
Noas – hora canônica de orações
Ronda dos Sidéreos – a Eternidade
Rudes Seres nascidos – o Homo sapiens
Runas Áureas de Sião – o alfabeto do Idioma Brasileiro Livre
Rude Sidéreo – o planeta Nibiru
Saci – divindade dos índios Tupys
****
A Ciência Oaieme e seus métodos não obedecem as normas da Nomenclatura Gramatical da Língua Portuguesa mais a do Idioma Brasileiro Livre.

Muitas palavras que estão na relação, propositadamente não foram utilizadas. No entanto elas poderão se usadas, enriquecer o texto ou resultado final com novas informações. Este exercício é um desafio a sua competência.
****

05. COMENTARIO

Tanto os cômputos Sumérios como de outras culturas Eurásicas assim como as informações científicas corroboram os Resultados da Ciencia Oaieme e siquer levamos em conta os relatos bíblicos.

Considere-se que os resultados da Ciência Oaieme independem da vontade daquele que o assunto tema analisa neste caso o Tema é Deus e as Crônicas. O resultado já está pronto, o que nos cabe é montar o incrível quebra cabeças que expressa o resultado e por considerarmos ser ele autêntico em seu teor e forma disponibilizamos “links” para sites ou blogues que tratam dos assuntos aqui ventilados.

Isso faz com que os interessados pesquisem tais assuntos em fontes diferentes e teçam suas considerações pessoais no entanto enfatizamos a veracidade dos relatos aqui apresentados através da Ciência Oaieme. Que alguém na dúvida conteste os mesmos.

Saiba +

****
**** O olho que dizem que tudo vê, olha o Mundo e não me enxerga pois no Ontem não era, no Hoje não é e no Amanhã nunca será. No entanto Eu olho o Mundo e o olho que dizem que tudo vê: Eu o vejo e o enxergo pois no Ontem Eu era, no Hoje Eu sou e no Amanhã sempre serei.
****
**** Eu vim, vi e venci e nem “eles” me viram nem tu me viste.
**** Um abraço a todos, até o próximo artigo e Inté.
**** Independência ou Sorte. O Aedo do Sertão

**** Fim.